4 de abril de 2013

✿ Capítulo 34 ~ The Love Always Wins

Recordações



     Em poucos minutos estávamos na casa dos avós do Justin, aonde ele me levou no primeiro dia que ficamos juntos. Pedi pra ele estacionar de frente pra paisagem, então sai do carro e sentei no capô me encostando no para-brisa.

      Ele não se mexeu, ficou me olhando com uma cara de idiota, então falei:
SeuNome: Vem logo!

       Me olhando e sorrindo ele saiu do carro e sentou do meu lado.
SeuNome: Sabe, eu sempre quis fazer isso.
Justin: Sentar no capô do meu carro e ficar olhando para o nada?
SeuNome: Sim, mas na verdade não era exatamente no capô do seu carro, mas era isso.
Justin: Mas daqui pra frente vai ser sempre no capô do meu carro, porque eu não vou te largar nunca mais.

    Trocamos sorrisos e nos beijamos carinhosamente. Me aconcheguei no ombro dele e fiquei por um longo tempo sem falar nada, apenas recordando que eu teria que o deixar, então para não chorar, resolvi começar a tirar fotos. Modéstia a parte, eu e o Justin ficamos lindos juntos.
SeuNome: Como você consegue sair lindo em todas as fotos?
Justin: Eu não sei, eu não sai lindo em todas. Essa aqui por exemplo, estou ridículo.
SeuNome: Não está não, você está lindo em todas.
Justin: Você que fica linda em todas, e ah, eu quero algumas dessas fotos pra mim, ok?
SeuNome: No final do dia quero que fique com todas elas.
Justin: Mas como assim? E você não vai ficar com nenhuma? E se acontecer alguma coisa, como é que você vai lembrar de mim?

     Aquelas palavras foram como um soco no meu estômago. Eu não consegui responder no momento e então deitei no ombro dele pensando em como eu iria rebater aquilo sem falar nada que pudesse o magoar.
SeuNome: Eu quero que fique com todas elas, é só isso. E se acontecer alguma coisa, pode ter certeza que me lembrarei de cada dia, de cada momento detalhadamente que passei com você, Justin.

     Antes que ele pudesse fazer mais perguntas que eu não queria responder, convidei-o para entrar na casa dando a desculpa que estava ficando frio.

     Ao entrar na casa, em questão de segundos, todos os momentos que eu passei com justin ali, passaram diante dos meu olhos e eu tive que respirar fundo para não chorar. Lá fora, uma chuva fina começou a cair, molhando lentamente as janelas de vidro daquele pequeno lugar que me fazia recordar coisas tão boas.

     Ouvi Justin dizer que ia lá fora, não prestei muita a atenção, mas achei ter ouvido que ia fechar os vidros do carro. Talvez fosse isso mesmo.

     Aproveitei que Justin havia saído e fui até o quarto, aonde eu havia dormido com Justin algum tempo atrás. Estava arrumada com uma colcha branca de seda e travesseiros que aparentavam ser de pena.

     Escutei passos atrás de mim e sem dar tempo de me virar, Justin me agarrou pela cintura e se jogou na cama abraçado comigo. Fiquei por cima dele, e sem entender muito o que estava acontecendo cai na risada sussurrando no ouvido dele que ele realmente era um idiota, em seguida, o beijei.

     Saí de cima dele, sentando na berrada da cama e falei:
SeuNome: Bons momentos aqui, não é?
Justin: E como.

     Fui puxada novamente pela cintura, mas aproveitei a situação e me joguei para trás, o que fez a cama balançar um pouco, Justin havia feito o mesmo e olhávamos os dois para o teto. Fechei os olhos e senti que Justin estava me observando e sorrindo pra mim, ele disse:
Justin: Posso saber no que você está pensando?
SeuNome: Na verdade em nada. Eu apenas fechei os olhos e deixei minha mente se esvaziar dos problemas.
Justin: Problemas?
SeuNome: Meu pai e minha mãe querendo me arrancar de você. - Justin me olhou assustado, então prossegui. - Sim Justin, é isso que eles querem... bom, pelo menos a minha mãe, tive uma conversa horrível com ela antes e ela não quer me ver com você, mas sabe, eu não entendo. Ela cansa de dizer que quer o meu bem, a minha felicidade, mas será que ela não vê que sou feliz com você?! - Não aguente e explodi em choro. - Falou que não tem futuro pra mim aqui no Canadá, mas eu sei que tem, e que é com você. Nunca amei nenhum cara até conhecer você Justin, e minha mãe sabe disse, porque já cansei de falar isso pra ela. Minha relação com ela estava tão boa, antes de eu vir pra, e eu juro que não sei o que aconteceu.

     Justin me puxou pra perto e me abraçou com força, ele não falou nada, talvez porque não soubesse o que falar ou porque simplesmente achou que fosse melhor assim, então ele só ficou com os ouvidos bem abertos e me deixou falar.

     Não contei qual eram os planos da minha mãe e nem que esse poderia ser nosso último dia juntos. Apenas falei tudo que me intrigava, contei como minha relação com a minha mãe mudou nos últimos anos e de como havia melhorado alguns meses antes de vir morar com a minha mãe. Talvez eu já tivesse tocado nesse assunto mas não importava.

     Depois que eu terminei de falar, e também já sem lágrimas para serem derramadas, beijei Justin com amor, um beijo apaixonado,como se fosse a única maneira de demonstrar o que eu sinto por ele.

    Demorou alguns instantes até que voltei a raciocinar que estava ficando tarde e que eu ainda queria visitar muitos lugares.
 SeuNome: Bom Justin, tem um último lugar que eu quero que você me leve, por favor. No parque, aquele que tem um lago lindo, que foi aonde você me pediu em namoro.
Justin: Seu pedido é uma ordem, minha princesa.

     Fui no banheiro lavar o rosto e retoquei a maquiagem, Justin apareceu de surpresa na porta dizendo que eu não precisava daquilo, de qualquer jeito eu era linda. Sorri pra ele, sem saber o que dizer. Logo terminei e saímos da casa em direção ao carro que estava a alguns poucos metros dali.

      A chuva tinha cessado e pequenas poças haviam se formado no jardim. Por um instante, observando as flores que pareciam recém plantadas, vivas e belas como nunca, por causa da chuva, lembrei que nem meus pais, nem minha avó havia me ligada durante todo o tempo que eu havia estado fora.

     Estranho, algo poderia ter acontecido, ou talvez minha avó havia quebrado essa pra mim, ocupando meus pais o dia todo para que eu pudesse aproveitá-lo com Justin.

     Ao entrar no carro, Justin, também comentou comigo sobre ninguém ter ligado pra ele a tarde toda, supondo que talvez nem tivessem sentido a sua falta em casa.

     No relógio faltava pouco para as cinco e meia da tarde, o que me fez pensar que Justin e eu poderíamos ficar até o pôr do sol no lago. Talvez tomaríamos um sorvete, compraríamos pipoca ou algodão doce, e passaríamos uma eternidade ali, juntos, jogando muita conversa fora e demostrando nosso amor a todas as pessoas que passassem por nós.

     Já de volta as ruas daquela cidade linda aonde eu vivi e estava vivendo os melhores dias da minha vida e havia conhecido o homem com quem eu sonhava em me casar, Justin estacionou o carro em frente ao parque que eu havia pedido que ele me levasse. Saí levando a minha bolsa, com um pequeno guarda-chuva dentro dela acaso voltasse a chover.

      Meu estômago deu sinal de que estava faltando combustível e eu pedi que Justin viesse comigo comprar uma pipoca. Ele quis pagar, não deixei. Entreguei o dinheiro, dizendo que o vendedor poderia ficar com o troco e saí entregando um saquinho de pipoca ao Justin, e segurando o outro. Sentamos e em questão de poucos minutos eu tinha comido toda a minha pipoca, Justin estava na metade e me olhou com uma cara de deboche.
Justin: Mas como assim você, já acabou? Sou sempre eu quem termina de comer antes! - disse ele soltando uma risadinha.
SeuNome: Para, é que eu estava com fome.
Justin: Poderíamos ter passado em algum outro lugar antes de vir pra cá para comermos algo, mas você não falou que estava com fome.
SeuNome: É que eu queria ver o por do sol aqui, com você.
Justin: Teria dado tempo.
SeuNome: Preferi não arriscar. Depois a gente passa em algum restaurante, sei lá.

    Depois de quase uma hora ali naquele lugar magnífico com Justin, as nuvens cinzentas de chuva haviam sumido e um sol grande e belo começou a se pôr, reluzindo raios amarelos e laranjados sobre o azul do lago. Eu já tinha esquecido de tirar mais fotos, mas quando vi aquele pôr do sol, lembrei na hora da minha câmera que estava na bolsa.

     Pedi que Justin tirasse algumas fotos comigo e também que tirasse fotos do sol, pois queria lembrar pra sempre daquele momento. Minha palavras não soaram bem e percebi que Justin ficou intrigado. Não querendo receber perguntas sobre o que eu tinha acabado de dizer, mudei rapidamente de assunto. O que, naquele momento, foi a pior coisa que eu podia ter feito.

     Meu celular começou a tocar. Era a Caitlin:
SeuNome: Alô?
Caitlin: Oi SeuNome. Está com algo marcado pra essa noite? - Pensei nos meus pais, mas logo percebi que era melhor dizer que estava livre e não ficar em casa.
SeuNome: Sim, estou.
Caitlin: Vou dar uma pequena festa aqui em casa. E quero que você venha, se puder claro. Ah, eu estou tentando ligar para o Justin, mas não chama. Você tem como avisá-lo?
SeuNome: Sim, ele está aqui comigo.
Caitlin: Então está ótimo, espero vocês dois aqui em casa, podem vir a partir das nove horas, ta bom? Beijos, até mais.
SeuNome: Até.

     Desliguei o telefone e olhei para o Justin, como uma cara que, expressava malícia:
SeuNome: Temos festinha!
Justin: Que ótimo. Na casa da Caitlin?
SeuNome: Isso. - Olhei no meu celular e vi que faltava pouco para as sete horas da noite. - Vamos indo?
Justin: Mas pude ouvir que é a partir das nove.
SeuNome: Esqueceu dos meu pais, Justin? Ainda tenho que falar com eles, e é melhor eu jantar em casa.
Justin: Você está certa. Vamos.

     Nos dirigimos até o carro e depois de uns vinte minutos Justin me deixou em casa, saí do carro, já podendo ver que minha mãe espiava pelo canto da janela, vou levar um sermão daqueles, pensei. Me despedi do Justin e antes de abrir a porta fiquei o olhando partir, respirei fundo e entrei em casa.


-------------------------------------------------------------
Dependendo de como vocês reagirem, posto outro capítulo amanhã, tenho ele pronto.


4 comentários:

  1. que bom q vc voltou a postar..!! amo sua ib <3_<3

    ResponderExcluir
  2. Porrããn.... tinha abandonado?? =C
    Todo dia eu entrava pra ver se tinha algum capítulo novo e nada!
    Que bom que voltou a postar amoore!
    Fiquei triste com o capítulo... Tudo muito triste!
    Mas amei =)

    ResponderExcluir
  3. a tati vai continuar a sua fic?? por favor responda :) bjs

    ResponderExcluir